Quem sou eu



Meu nome é Liotâni, Davi Liotâni. Lio vem de Liolácio, meu pai, e Tâni vem de Tânia, minha mãe. Criativos, hein? Talvez por isso eu invente coisas desde bem jovem. Davi significa "amado de Jeová" e reflete as expectativas colocadas sobre mim.

Nasci em São Leopoldo/RS, o berço da colonização alemã no Brasil, a 9 de novembro de 1989. Os alemães ficaram tão entusiasmados com isso que horas depois até se reuniram para derrubar o muro de Berlim.

Next

Minha trajetória

2000

Por volta dos 10 anos de idade me tornei sócio de uma inovadora oficina mecânica para carrinhos de brinquedo, que faliu porque não conseguimos encontrar clientes. Depois me tornei sócio de uma inovadora gráfica de cartões de visita, que funcionava a partir da impressora do meu irmão. Meu novo sócio logo acabou me trocando pelo meu antigo sócio e eu deveria ter aprendido que depender de outras pessoas não é muito inteligente.

2005

Aos 15, descobri duas falhas no sistema da Tim que permitiam enviar mensagens de graça (por favor não avise o FBI). Fiz a alegria de dezenas de pessoas e percebi que poderia ensinar a gambiarra em troca de mais do que sorrisos. Como eu não sabia precificar meus serviços, comecei a cobrar apenas em recargas. Após conseguir créditos suficientes para enviar uns oito bilhões de mensagens (se as mensagens nem eram cobradas, por que eu precisava ser pago em recargas?), a Tim corrigiu as falhas e encerrou minhas atividades.

2006-2007

Aproveitei as férias do verão de 2006 para trabalhar como vendedor de mídia impressa na empresa do pai do sócio que me trocou pelo antigo sócio. Era difícil vender na cidade designada para minha equipe, então decidi começar a trabalhar na pequena cidade dos meus avós, a uns 100km de distância. Em uma semana vendi mais espaços publicitários do que tinha vendido nos últimos dois meses e convidei minha esfomeada equipe a pegar umas fatias do bolo.

Durante o último ano de escola, enquanto meus colegas estudavam eu passava boa parte do tempo matando aulas para trabalhar e poder comprar um Puma conversível. No fim do ano, assisti uma reportagem sobre o PatrocineMeuCarro.com, o que acabou me levando ao MillionDollarHomepage.com e consequentemente a ter o objetivo de criar negócios baseados na internet.

No início de 2007, durante uma viagem a trabalho um cara acertou em cheio o carro onde eu estava. Ele morreu e com isso matou por um bom tempo a minha coragem de entrar em um carro e comprar o Puma. Aos poucos fui me afastando da agência e me juntei ao programa de afiliados de uma loja virtual (modalidade onde se recebe comissões por indicar produtos ou serviços online). Me apaixonei por um modelo de teclado de computador lavável e flexível, então criei o TecladoIndestrutivel.com e vendi exatamente nenhum teclado.

2008

Concluí que um produto físico e caro tinha sido o problema, então resolvi digitalizar as coisas criando o marQtim.com, um site jurássico com conteúdos sobre marketing. Adquiri os direitos de revenda do ebook Super Affiliate (Super Afiliado), do Jimmy Brown, traduzi seu conteúdo e o coloquei à venda. Escrevi um guia sobre redação publicitária baseado no Hypnotic Writing (Redação Hipnótica), do Joe Vitale, e o coloquei à venda. Também escrevi um ebook gratuito sobre SEO (Search Engine Optimization ou Otimização para Sites de Busca) revelando o que aprendi com o TecladoIndestrutivel.com, que em pouco tempo saíra da décima para a segunda página de resultados orgânicos do Google na busca por "teclado de computador".

Criei o EmpresasValeSinos.com com um sócio (droga, eu não aprendi a lição!), o primeiro guia de empresas do Brasil a permitir que os anunciantes editassem os próprios anúncios. O início foi excelente, mas meu sócio se assustou com alguns detalhes técnicos e eu me assustei com a possibilidade de ter que fazer tudo sozinho, então encerramos o guia em menos de um ano.

Adquiri os direitos de revenda do ebook Body Language Magic (Linguagem Corporal Mágica), traduzi seu conteúdo e o coloquei à venda no LinguagemCorporalMagica.com. O site chegou até os primeiros resultados do Google para "linguagem corporal" e ficou online até o início de 2013, me gerando uma boa renda extra e sendo aperfeiçoado com o passar do tempo.

2010

Aos 20 anos, no auge da sabedoria que um ser humano pode experimentar, conheci uma garota de Manaus pelo Orkut e enfrentei o dilema entre casar e comprar uma bicicleta. Criei o DivulgueSeu.Com, posicionei os sites de dezenas de clientes entre os primeiros do Google e acreditei que poderia casar (ou pelo menos abrir uma loja de bicicletas).

Um pouco antes de voar para Manaus, quando a cada turbulência eu agarrava a poltrona do avião tentando não sair do lugar em caso de colisão (maldita sequela do acidente de trânsito!), criei o DescubraComoGanharDinheiro.net para disputar as concorridas primeiras posições do Google nas buscas relacionadas por "ganhar dinheiro na internet".

Enquanto isso, entrei para um mirabolante esquema de pirâmide negócio de marketing multinível que tinham me apresentado, mas por não ser certificada pelos egípcios a pirâmide acabou desmoronando em questão de semanas.

O DescubraComoGanharDinheiro.net enfim apareceu no topo do Google, eu me afiliei a um treinamento sobre negócios digitais e dei um jeito de ganhar cerca de três salários mínimos mensais sem levantar um dedo. Tempos depois o Google percebeu que não haveria casório e fez meu site despencar, certamente para dar lugar a algum outro empreendedor apaixonado.

2012

Percebendo que eu poderia ensinar SEO avançado para os clientes, transformei o DivulgueSeu.Com em ARotaSecreta.com e publiquei dois guias: O Guia de Bordo, gratuito e destinado a ensinar os princípios básicos, e A Rota Secreta, pago e destinado a ensinar estratégias pouco conhecidas.

Inspirado por Marketing Radical, de Sam Hill e Glenn Rifkin, criei também o Publiciotario.com para difundir as ideias do livro entre donos de pequenas empresas.

2013

Minha nova namorada ainda não era Testemunha de Jeová oficialmente e por causa disso tentamos camuflar o relacionamento para evitar que eu sofresse sanções da congregação. Coincidentemente ou não, comecei a ter crises de pânico e passei algumas semanas trancado em casa.

Ela não se sentia confortável com o suposto risco dos meus negócios e me influenciou a procurar a "segurança" de um emprego. Trabalhei para meu pai como servente de obras enquanto tentava chamar a atenção do Peixe Urbano através do QuemDeraSerUmPeixe.com e finalmente fui contratado como vendedor de uma empresa de software. O Publiciotario.com foi transformado em um diário tragicômico com confissões sobre ansiedade, marketing e relacionamentos.

O relacionamento enfim se tornou público e eu de fato sofri sanções da congregação. Com o fim do namoro e dos motivos para continuar no emprego, me demiti e mergulhei numa fase dolorosa que talvez todos acabam enfrentando algum dia.

2014-2015

Após me convencer de que crises de pânico assustam, mas não matam, criei o SindromeDoPenico.com, uma comunidade online destinada a desafiar a síndrome do pânico ironizando-a e oferecer ajuda em tempo real durante as crises.

Desenvolvi o CalendarioDeOfertas.com, um negócio de compras coletivas baseado em ímãs de geladeira com calendário, onde as empresas patrocinadoras de períodos específicos davam desconto em algum produto ou serviço, sendo que os cupons eram acessados através de um QR Code impresso nos milhares de ímãs, por sua vez distribuídos pelas empresas patrocinadoras como brindes aos seus clientes.

Criei também o ValeBarbadas.com.br, uma vitrine de promoções onde pequenas empresas da minha região podiam publicar todas as suas ofertas em troca de um pequeno investimento.

Por fim, abri uma agência de design online no LOGAMOS.com e atraí muitos caloteiros clientes oferecendo a criação sem compromisso e recebendo os pagamentos apenas após a aprovação dos trabalhos.

Mas não consegui me dedicar a nenhum negócio pois estava ocupado demais tentando lidar comigo mesmo. Em dezembro de 2014 dei um basta e comecei a investigar a principal crença que me foi imposta por toda a vida, sobre a religião das Testemunhas de Jeová ser a única verdadeira e estar acima de qualquer questionamento. Abismado com o que descobri, impulsivamente conversei a respeito com muitas pessoas, o que acabou me colocando contra a parede e me obrigando a deixar de ser Testemunha de Jeová em 2015.



Praticamente sozinho no mundo (as Testemunhas de Jeová isolam os ex-membros, tratando-os como "apóstatas" e impedindo que sejam até mesmo cumprimentados), passei a estudar ainda mais do que antes, na esperança de que algum livro pudesse me "salvar".

2016

O ano naturalmente começou confuso, mas enfim alguns livros poderosos caíram sobre minha cabeça e me acordaram com o impacto. Passei a estudar assuntos antes desprezados, retomei alguns projetos e não, não recobrei o "bom senso". Nem pretendo.

Next

Meus pontos fortes

É claro que eu tenho pontos fracos (ser gremista, por exemplo), mas aqui estão meus pontos mais fortes:

  • Curiosidade

  • Criatividade

  • Iniciativa

  • Agilidade

Next